Início
“A missão de Jesus começa sempre na oração”
25 de Novembro de 2021
Jornada Diocesana da Juventude
“A missão de Jesus começa sempre na oração”

A Jornada Diocesana da Juventude (JDJ), em Queluz, foi a mais participada de sempre. Aos dois mil jovens, o Cardeal-Patriarca de Lisboa desafiou a assumirem, para as suas vidas, a “realeza de Jesus Cristo” e a começar na oração o caminho de preparação até à Jornada Mundial da Juventude (JMJ), em 2023. “Se não partimos da oração, não partimos de Deus. Partimos só de nós, e as coisas valem o que valem”, garantiu.

A Escola Básica e Secundária Padre Alberto Neto, em Queluz, recebeu a Jornada Diocesana da Juventude que, este ano, se realizou, pela primeira vez, no Domingo de Cristo Rei. Aos jovens, vindos de toda a diocese, o Cardeal-Patriarca começou por desafiá-los a assumirem a realeza de Jesus Cristo – “uma realeza muito distinta de outras” – como definição das suas próprias vidas. “Deus não se impõe por fora, Deus não faz barulho, Deus espera convencer-nos precisamente pela criação que nos oferece e que nós próprios vivemos e compartilhamos com os outros. Mas não é uma imposição de fora, é a verdade das coisas, como ela realmente se apresenta e deve ser recebida. E foi, nesse sentido, que Jesus depois definiu a sua realeza. Vocês lembram-se do resto da conversa com Pilatos: ‘Mas então, tu és rei?’ E Jesus respondeu: ‘É, sou Rei, mas não é como tu pensas, eu sou Rei porque dou testemunho da Verdade e todo aquele que é da Verdade escuta a minha voz’. Esta é a realeza de Cristo”, apontou D. Manuel Clemente, na homilia da Missa, apelando também aos jovens a não descurarem a “participação responsável, livre” na “vida política, que determina o nosso futuro conjunto enquanto concidadãos”.


JDJ 2021



“Em casa”
Para o Cardeal-Patriarca, a “verificação” da realeza de Cristo foi possível, através da constatação de tantos jovens e animadores que estiveram presentes, vindos de todos os cantos da Diocese de Lisboa, “a diocese dos 4 A’s – começa em Alcântara e vai até a Alcobaça, vai desde a Azambuja e até Além-Mar”. “Não foi nenhum reino exterior que nos trouxe aqui, mas foi a verdade de Cristo no nosso coração, a beleza do seu Evangelho, que nos trouxe aqui e que nos faz sentir tão em casa. Vocês já repararam certamente o que está a acontecer aqui, desde esta manhã, e o que acontece em todas as outras ocasiões do género. É que nós rapidamente nos sentimos em casa. Quando nos reunimos em nome do Senhor Jesus – como é o caso –, sentimo-nos imediatamente em casa, estamos bem, temos confiança, estamos uns com os outros, sabemos o que é esta fraternidade que nasce do nosso batismo comum como filhos de Deus. Está é que é a realeza de Cristo! É tão diferente, porque ela não vence apenas, ela, sobretudo, convence. Toca-nos no coração”, assegurou D. Manuel Clemente.

Partir de Deus
Vestidos com as cores da JMJ Lisboa 2023 e entoando, com alegria, ao longo de todo o dia, o hino oficial do encontro que vai acolher, na capital portuguesa, a juventude de todo o mundo, os jovens de Lisboa ouviram, no último Domingo, um pedido para o tempo que resta até à JMJ – “que é já depois de amanhã – 20 meses são 20 dias com tudo aquilo que há para preparar”, como lembrou o Cardeal-Patriarca. “A Jornada Mundial da Juventude, essa, começa já (...) e a oração é muito precisa. A missão de Jesus começa sempre na oração. Reparem que, em qualquer um dos quatro Evangelhos, não há nenhum momento importante e determinante na missão de Jesus que não comece em oração”, observou D. Manuel Clemente. 

  • Leia o texto completo na edição do dia 28 de novembro do Jornal VOZ DA VERDADE, disponível nas paróquias ou em sua casa.



ORGANOGRAMA DA CÚRIA
© 2020 - Patriarcado de Lisboa. Todos os direitos reservados.