Início
Bispos analisam regresso das celebrações presenciais
22 de Fevereiro de 2021
Conferência Episcopal Portuguesa
Bispos analisam regresso das celebrações presenciais


O Conselho Permanente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) remeteu hoje para a sua reunião de 9 março novas orientações sobre as celebrações públicas da Missa, esperando que o seu regresso seja possível em breve. “Acompanhamos atentamente a situação da pandemia e confinamento geral, esperando que continue a evoluir favoravelmente para que seja possível retomar as celebrações presenciais nas comunidades cristãs”, refere uma nota do organismo, enviada à Agência Ecclesia, no final da reunião que decorreu online.
O Conselho Permanente da CEP vai reunir-se a 9 de março, como previsto no seu calendário anual. “Nessa altura contamos tomar orientações, em diálogo com as autoridades de saúde e de governo”, indicam os bispos.
A 21 de janeiro, a CEP anunciou a suspensão das celebrações “públicas” da Missa em Portugal Continental, na sequência do agravamento da pandemia de Covid-19 no país. “Embora lamentando fazê-lo, a Conferência Episcopal Portuguesa determina a suspensão da celebração ‘pública’ da Eucaristia a partir de 23 de janeiro de 2021, bem como a suspensão de catequeses e outras atividades pastorais que impliquem contacto, até novas orientações”, refere um comunicado. 

No último dia 17 de fevereiro, o Vaticano divulgou um conjunto de orientações para a celebração da Semana Santa em contexto de pandemia, à imagem do que aconteceu em 2020, assumindo a necessidade de “mudanças na forma habitual de celebrar a Liturgia”. A nota da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos (Santa Sé), enviada à Agência Ecclesia, dirige-se aos bispos e às Conferências episcopais de todo o mundo, sublinhando que “em muitos países ainda estão em vigor rígidas condições de confinamento, que impossibilitam a presença dos fiéis nas igrejas, enquanto noutros é retomada uma vida de culto mais normal”.


Ecclesia



ORGANOGRAMA DA CÚRIA
© 2020 - Patriarcado de Lisboa. Todos os direitos reservados.