Início
CARTA DO CARDEAL-PATRIARCA DE LISBOA AOS PÁROCOS E ÀS COMUNIDADES CRISTÃS DO PATRIARCADO DE LISBOA
19 de Abril de 2009
CARTA DO CARDEAL-PATRIARCA DE LISBOA AOS PÁROCOS E ÀS COMUNIDADES CRISTÃS DO PATRIARCADO DE LISBOA

Queridos Irmãos,

 

            Escrevo, em plena Semana Pascal, na certeza de que a vida da Igreja é o prolongamento, em nós, da força de vida nova que brota da ressurreição de Cristo. Aproximam-se alguns momentos particularmente significativos para a vitalidade da nossa Igreja diocesana.

 

            1. A Canonização do Beato Nuno de Santa Maria (Santo Condestável). Uma canonização é a proclamação, pela Igreja, da santidade de vida de um cristão, apresentando-o como modelo e estímulo para a nossa fidelidade e intercessor junto de Deus. Num Santo o mistério da comunhão dos Santos ganha rosto concreto e exprime-se num irmão nosso que viveu na fidelidade ao seu baptismo, ideal que nos move também a nós.

            O Beato Nuno de Santa Maria, sendo um Santo de Portugal, Nação a cujo serviço exerceu uma função pública, num momento particularmente delicado da consolidação da nossa nacionalidade, é também um Santo de Lisboa, onde viveu a última parte da vida como irmão da Ordem do Carmo, dando testemunho heróico de humildade e de caridade, expressa sobretudo no amor dos pobres a quem deu todos os seus bens e serviu com grande humildade. Formas de culto público, reconhecimento, pela comunidade, da sua santidade de vida, são conhecidas em Lisboa logo após a sua morte. Foi a Diocese de Lisboa que, por três vezes, introduziu a causa em ordem à sua canonização: em 1918, em 1940 e agora. Ele é, pois, um Santo que muito diz à Diocese de Lisboa, onde se construiu a primeira Igreja que o tem como Orago, a Igreja de Santo Condestável, na Cidade de Lisboa.

            Convido todas as comunidades cristãs do Patriarcado a viverem espiritualmente este momento, quer associando-se às celebrações oficiais, quer em formas escolhidas por cada comunidade. Lembro as celebrações previstas, além da celebração de canonização, presidida pelo Santo Padre, no dia 26 de Abril.

 

* No dia 25 de Abril, às 21h30m, Vigília de Oração preparatória da canonização, na Igreja do Sagrado Coração de Jesus, em Lisboa, presidida pelo Senhor D. Joaquim Mendes, Bispo Auxiliar que acompanha a Cidade de Lisboa.

 

* No dia 25 de Abril, às 21h, Vigília de Oração na Igreja de Santo António dos Portugueses, em Roma, a que presido.

 

* No dia 27 de Abril, às 15h, na Basílica de São Paulo Extramuros, em Roma, celebração de acção de graças, no espírito do Ano Paulino, sob a minha presidência.

 

* No dia 10 de Maio, às 16h, na Igreja de Santo Condestável, em Lisboa, celebração de acção de graças, a que presido.

 

2. Celebração dos cinquenta anos da inauguração do Monumento a Cristo-Rei.

Há cinquenta anos foi inaugurada solenemente a Imagem de Cristo-Rei, em Almada, abençoando a Cidade de Lisboa. Era o cumprimento de um voto: durante a Segunda Guerra Mundial os Bispos Portugueses pediram ao Sagrado Coração de Jesus, e a Nossa Senhora de Fátima, que poupassem Portugal aos horrores da guerra. Ao fazerem este pedido, manifestaram a sua fé na acção de Deus na história; ao cumprirem a promessa, interpretaram a paz como um dom de Deus. Essa é a mensagem destas celebrações jubilares: levar os cristãos a confiar na acção de Deus na resolução dos problemas da nossa sociedade. O Monumento a Cristo-Rei, não pode ser apenas um mirante, mas um sinal da protecção de Deus sobre a cidade dos homens.

Há cinquenta anos, nessa acção de graças nacional, cruzaram-se o louvor a Cristo Redentor e a Sua Mãe Maria Santíssima, que os portugueses sempre consideraram sua padroeira. A Virgem de Fátima, na sua Imagem da Capelinha, veio a Lisboa e a Cidade, em Vigília de Oração preparatória da cerimónia de inauguração, aclamou-a através das ruas, em procissão solene.

Cinquenta anos depois quisemos que a mesma Imagem de Fátima estivesse presente, preparando em Vigília de Oração a celebração do dia 17 de Maio, que será presidida por um enviado especial do Santo Padre, o Senhor Cardeal José Saraiva Martins.

Há cinquenta anos, Almada, onde se situa o Monumento a Cristo-Rei, pertencia ao Patriarcado de Lisboa. Hoje pertence à Diocese de Setúbal. Por isso estas celebrações comemorativas foram organizadas pelas duas Dioceses. Convoco os cristãos de Lisboa tanto para a Vigília, com a Imagem de Nossa Senhora de Fátima, em Lisboa, na tarde de 16 de Maio, como para a grande celebração do dia 17 de Maio, no Monumento a Cristo-Rei, às 16h.

No dia 16, a Imagem de Nossa Senhora de Fátima chegará a Lisboa às 11h, visitará em memória da Bem-Aventurada Jacinta Marto, o Hospital da Estefânia e a Igreja de Nossa Senhora dos Anjos. A partir das 12h estará na Igreja de São Nicolau. Às 15h50m será recebida na Praça do Comércio, onde às 17h haverá a Solene Celebração da Eucaristia, presidida por mim. Às 19h a Imagem de Nossa Senhora será conduzida para a outra margem, em cortejo fluvial e entregue à Diocese de Setúbal. Pelas 20h haverá Procissão de Velas, em Cacilhas e uma Vigília na Igreja Paroquial de Almada. A celebração aniversaria do cinquentenário, com a presença dos Bispos de Portugal e presidida pelo Cardeal Saraiva Martins, será às 16h no Monumento a Cristo-Rei.

 

Vivamos estas celebrações ao ritmo do Espírito de Cristo Ressuscitado, pois a Igreja é sempre uma manifestação de fé. Que a protecção de Santo Condestável, de Nossa Senhora Padroeira de Portugal, e a bênção de Cristo Ressuscitado desçam sobre todos vós.

 

            Lisboa, 17 de Abril de 2009

 

 

† JOSÉ, Cardeal-Patriarca


ORGANOGRAMA DA CÚRIA
© 2020 - Patriarcado de Lisboa. Todos os direitos reservados.