Youtube

NOTÍCIAS

23 de Julho de 2018

Casal de Lisboa participa no Encontro Mundial das Famílias, em Dublin

Imprimir
No próximo mês de agosto, milhares de famílias de todo o mundo vão participar no IX Encontro Mundial das Famílias, em Dublin, na Irlanda. Catarina Luís e Nuno Fortes, da Pastoral Familiar de Lisboa, são um dos casais da diocese que vai estar presente neste encontro com o Papa Francisco e, ao Jornal VOZ DA VERDADE, falam das expectativas que este acontecimento está a gerar e do desejo de contribuírem, em casal, para a evangelização.

Pela primeira vez, Catarina Luís e Nuno Fortes vão participar num Encontro Mundial das Famílias. No próximo mês de agosto, de 21 a 26, este casal de Lisboa vai participar, em Dublin, na Irlanda, num encontro que junta milhares de famílias de todo o mundo e onde está prevista a presença do Papa Francisco. “Partimos com a expectativa de participar num espaço de comunhão internacional de famílias e procurar partilhar e receber a partilha de famílias de todo o mundo sobre como é viver em família esta alegria de ser cristão”, afirma Nuno Fortes, manifestando o desejo de que esta experiência possa contribuir para o enriquecimento do Sector da Pastoral Familiar de Lisboa, onde, juntamente com a esposa, Catarina Luís, está empenhado.
A participação em encontros internacionais não são uma novidade para Nuno e Catarina: conheceram-se numa peregrinação a Taizé, França, e participaram em três Jornadas Mundiais da Juventude, em Colónia, Madrid e Rio de Janeiro. Por isso, as reportagens dos anteriores Encontros Mundiais das Famílias despertaram, facilmente, neste casal, o desejo de participar num futuro encontro. Para Catarina, as fotografias que viu, com muitas famílias reunidas, com adultos, crianças, idosos, mostrando uma “dimensão intergeracional de vivência da fé”, tocaram-na muito e fizeram com que este casal da Paróquia de Sobral de Monte Agraço, na Vigararia de Alenquer, fosse um dos 500 mil participantes inscritos no encontro de Dublin, que vai decorrer no próximo mês.
Para já, a expectativa é grande para saber onde é a casa da família que os vai acolher. “Esperemos que seja na Irlanda e, idealmente, em Dublin. Não sei quão perto do evento, mas é uma das dimensões do encontro que nos entusiasma”, brinca Catarina, partilhando a alegria que sente por ter a possibilidade de “partilhar o dia-a-dia” com uma família que ainda não conhece, mas que se “dispõe a abrir a sua casa e a partilhar, com outra família, a alegria de ser cristã”. “É muito bonito e desejo experimentar. É uma das dimensões do encontro pela qual temos curiosidade”, revela esta leiga, de 34 anos. 

Testemunhar o amor
Conferências a partir da Exortação Apostólica ‘A Alegria do Amor’, momentos de animação musical e testemunhos são apenas alguns pontos do programa do IX Encontro Mundial das Famílias, em Dublin, onde se destaca a visita do Papa Francisco ao Santuário Mariano de Knock e a Missa de encerramento do encontro, em Phoenix Park. Segundo a organização, os 500 mil bilhetes que dão acesso a esta celebração estão há muito esgotados.
No último Encontro Mundial das Famílias, que decorreu em Filadélfia, nos Estados Unidos, em setembro de 2015, o Papa Francisco apelou para que cada família possa, ela própria, “ser profeta em todo o mundo”. Para Nuno Fortes, este desafio “continuará e perdurará ao longo dos tempos”. Neste sentido, lembra as palavras de São João Paulo II, na Exortação Apostólica ‘Familiaris Consortio’: “As famílias são os primeiros agentes evangelizadores das outras famílias”. No entanto, este leigo, de 38 anos, lembra que a tarefa não é fácil e, por vezes – como lembra o Papa Francisco –, “partem-se os pratos”. “Ser família não é uma coisa idílica. É viver o Evangelho nas dificuldades concretas da nossa vida que são marcadas por muitas alegrias, mas também por dificuldades. Passa por conhecer Cristo no outro, perante as nossas fragilidades, e acolhê-l’O no absoluto daquilo que o outro é. Só assim podemos dar o testemunho do que é o Amor. Isto de nos amarmos à imagem de Cristo é um desafio que nos ultrapassa. Só com a graça do Espírito Santo podemos, um dia, chegar lá perto”, sublinha.
Catarina reforça o papel evangelizador da família e destaca que também isso é pedido pelo Papa Francisco, na exortação que resultou do Sínodo dos Bispos sobre a Família. “Um dos temas abordados é a família como sujeito e agente evangelizador. Sujeito, na medida em que todos nós precisamos de ser evangelizados; e agente, na medida em que somos evangelizadores nos contextos onde estamos: no nosso trabalho, na nossa comunidade, na Igreja, entre os nossos amigos”, aponta. 


  • Leia a reportagem completa na edição do dia 22 de julho do Jornal VOZ DA VERDADE, disponível aqui.

 


Siga-nos em:
  • Facebook
  • YouTube
  • Sapo
  • Twitter
  • Flickr
Patriarcado de Lisboa
© 2018 - Patriarcado de Lisboa, todos os direitos reservados Desenvolvido por  zoomsi.com