Youtube

NOTÍCIAS

02 de Dezembro de 2017

Lumiar: “A comunhão é um testemunho que atrai e que todos entendem”

Imprimir
A Paróquia do Lumiar é uma das mais antigas da cidade de Lisboa – tendo celebrado recentemente 750 anos – e recebeu a Visita Pastoral, com D. Joaquim Mendes a convidar à comunhão e à missão. Confiada aos Jesuítas, a paróquia triplicou, nos últimos dois anos, o número de crianças na catequese e acolhe agora os Jovens GVX, movimento de espiritualidade inaciana.

Confiada desde há 11 anos à Companhia de Jesus (Jesuítas), a Paróquia de São João Batista do Lumiar foi desafiada à comunhão pelo Bispo Auxiliar de Lisboa D. Joaquim Mendes. “A Visita Pastoral é um acontecimento de graça para a comunidade que a recebe e para o Bispo que a realiza. Faz-nos sentir ‘família’, Igreja, povo de Deus em caminho e em missão de anúncio e testemunho do Evangelho, na diversidade e riqueza dos dons, carismas e ministérios. Procurai cultivar a comunhão na comunidade, amando-vos uns aos outros como o Senhor nos mandou, apoiando-vos mutuamente, cuidando uns dos outros, caminhando juntos”, salientou D. Joaquim Mendes, na Missa vespertina de dia 25 de novembro. Na igreja paroquial do Lumiar, o Bispo Auxiliar sublinhou depois que “a primeira forma de evangelização é o testemunho de comunhão, como acontecia com os primeiros cristãos”. “A comunhão é um testemunho que atrai e que todos entendem, crianças, jovens e adultos e que vai ao encontro de um desejo profundo que está em todos, porque fomos criados para a comunhão – comunhão com o Senhor e comunhão entre nós”, manifestou.
Na sua homilia, D. Joaquim Mendes lembrou ainda o tema do ano pastoral no Patriarcado de Lisboa, ‘Fazer da Palavra de Deus o lugar onde nasce a fé’. “Valorizar este tesouro que é a Palavra de Deus. Toda a evangelização está fundada sobre a Palavra de Deus escutada, meditada, vivida, celebrada e testemunhada”, apontou.

Igreja, família, missão
Antes desta celebração, na tarde do passado sábado, o Bispo Auxiliar de Lisboa encontrou-se com as crianças e adolescentes da catequese e os Jovens GVX (Grupos de Vida Cristã), tendo sublinhado três palavras: Igreja, família e missão. “A Igreja somos nós. Eu, vocês, os vossos pais, aqueles que encontraram Jesus, receberam o batismo e formam a comunidade dos discípulos de Jesus. Nesta Igreja somos todos irmãos, somos uma família, a família dos filhos de Deus. A paróquia é uma família de famílias e vocês são o futuro desta Igreja, a quem Jesus quer confiar o Evangelho. Quer confiar para que vocês o confiem a outros, o transmitam a outros. É assim este dinamismo da fé: receber e depois transmitir. A fé cristã cresce em nós também na medida em que nós a partilhamos”, salientou.
Seguiu-se um encontro com os catequistas e os animadores dos grupos de jovens, com D. Joaquim Mendes a começar por “agradecer” o trabalho destes leigos e a lembrar palavras do Papa aos catequistas. “A primeira coisa que o Papa Francisco diz é que a catequese constitui uma coluna para a educação da fé. A vida nova que as crianças recebem no batismo, é uma vida nova para crescer, para desabrochar, para frutificar. Diz o Papa: ‘Educar na fé é maravilhoso’. É talvez a melhor herança que possamos deixar a alguém”, referiu o Bispo Auxiliar, deixando um convite aos catequistas e animadores para “ajudarem as crianças, os adolescentes, os jovens e os adultos a conhecerem e a amarem, cada vez mais, o Senhor”. “Tudo que fazemos deve ter uma finalidade clara: conduzir as pessoas ao encontro de Jesus”, reforçou.

  • Leia a reportagem completa na edição do dia 3 de dezembro do Jornal VOZ DA VERDADE, disponível nas paróquias ou em sua casa.


Siga-nos em:
  • Facebook
  • YouTube
  • Sapo
  • Twitter
  • Flickr
Patriarcado de Lisboa
© 2017 - Patriarcado de Lisboa, todos os direitos reservados Desenvolvido por  zoomsi.com