Início
Novo Bispo Auxiliar de Lisboa: Brasão de Armas de D. José Traquina
30 de Maio de 2014
Novo Bispo Auxiliar de Lisboa: Brasão de Armas de D. José Traquina
O brasão de armas de D. José Traquina, novo Bispo Auxiliar de Lisboa, é da autoria do cónego João Marcos, Diretor Espiritual no Seminário dos Olivais.

Descrição heráldica:

Escudo azul dividido em três campos pela confluência de dois rios em verde sobre prata, com uma flor-de-lis de ouro no campo superior, uma estrela de sete pontas no campo direito e uma vieira no campo esquerdo, ambas de prata.

O escudo assenta sobre cruz pastoral de ouro, encimada por chapéu eclesiástico de cordão de 6 + 6 borlas, tudo de verde.

Na base do escudo, listel de ouro com a legenda em maiúsculas “ALEGRAI-VOS SEMPRE NO SENHOR”.

 

Leitura:

A confluência dos rios que estrutura o escudo é uma citação do escudo da freguesia de Alcobaça onde, como se sabe, confluem os rios Alcoa e Baça. A flor-de-lis (lírio heráldico) alude à Ordem de Cister e ao mosteiro cujo abade era senhor de Alcobaça e dos seus coutos. Neles se situa a freguesia de Évora de Alcobaça de onde é natural D. José Traquina. A vieira é uma referência habitual ao apóstolo S. Tiago Maior, padroeiro dessa paróquia.

Confluência, rios, lírio, estrela e vieira são elementos carregados de simbolismo.

Confluência sugere unidade, síntese. Os rios que, segundo os salmos 45 e 92, “alegram a cidade de Deus” e “levantam a sua voz” significam, no dizer de Santo Agostinho, a pregação apostólica (cf. Enarrationes in Psalmos 45, 8 e 92, 7). O lírio, sinal de eleição amorosa, simboliza também o abandono à vontade de Deus e a confiança na Providência Divina, segundo as palavras de Jesus: “Olhai os lírios do campo! […] Não trabalham nem fiam, e nem Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como um deles” (cf. Mt 6, 28ss). Segundo uma interpretação de Orígenes na segunda homilia sobre o Cântico dos Cânticos, Cristo, Verbo Incarnado, é o “lírio dos vales” plantado no meio do mundo para restituir aos homens a pureza do coração que lhes possibilitará a visão de Deus. A estrela aparece aqui referida à Virgem Maria, Estrela da Manhã que anuncia o dia, Estrela da Nova Evangelização. Finalmente a vieira, símbolo da fecundidade e do Batismo.

Pregação, unidade, eleição, confiança, pureza, orientação, Batismo, fecundidade espiritual, dizem bastante acerca da missão de um bispo da Igreja Católica.

As palavras “ALEGRAI-VOS SEMPRE NO SENHOR” escolhidas para lema episcopal e tomadas da Carta aos Filipenses (4, 4), são eco da recente Exortação Apostólica Evangelii Gaudium do Papa Francisco que o novo bispo toma como diretório para a sua ação pastoral.


ORGANOGRAMA DA CÚRIA
© 2020 - Patriarcado de Lisboa. Todos os direitos reservados.