Início
“Encontrei o meu lugar na Igreja”
25 de Junho de 2020
#Ordenações - Gonzalo Palácios
“Encontrei o meu lugar na Igreja”

Aos 18 anos, Gonzalo “não encontrava lugar dentro da Igreja, nem respostas para os problemas” ou para a sua história. Foi um tempo de distanciamento que, apesar de não ter significado uma rutura completa, fê-lo pensar em encontrar “respostas noutro lado”. Natural de Sevilha, em Espanha, Gonzalo é o terceiro de cinco filhos e destaca ao Jornal VOZ DA VERDADE a preocupação da mãe em ajudá-lo a “saber viver a Missa”, todos os Domingos. “Mas eu estava à procura, a precisar de mais alguma coisa”, revela. Aos 20 anos, através de uma amizade durante o curso de Direito – do qual desistiu no segundo ano –, foi desafiado a fazer “um percurso mais aprofundado na fé”, ao entrar para uma Comunidade Neocatecumenal. “Ajudou-me bastante e comecei a encontrar o meu lugar na Igreja”, assume. A questão da vocação “sempre esteve lá”. “Fui acólito e, já nessa altura, havia qualquer coisa que me atraia. Depois, na escolha da faculdade, também pensei na possibilidade de ir para o seminário, mas como não tinha uma estrutura, uma vivência cristã profunda, isso sempre ficou no ar”, aponta. “Nesta caminhada de Igreja, houve uma altura em que fizemos uma peregrinação e parámos em várias cidades, para fazer missão nas ruas, cantando e convidando as pessoas a escutar a Palavra. Foi essa experiência que mexeu comigo. Com aquilo, fez-se uma luz. Era aquilo que estava chamado a fazer”, assegura, revelando que, num encontro vocacional, então com 24 anos, tomou a decisão de entrar no seminário. A notícia causou, inicialmente, alguma estranheza à família, sobretudo porque “podia ir para qualquer parte do mundo”, revela Gonzalo Palácios, reconhecendo que os seus pais “foram aceitando e sempre estiveram disponíveis para tudo”. A ideia que tinha de seminário era “um pouco romântica” e, por isso, à chegada “foi um choque forte”. “É um seminário internacional, onde cada um falava a sua língua, mas a vivência do seminário é experimentar o milagre da comunhão”, assegura este futuro padre, que esteve dois anos num seminário em França e só depois rumou ao Seminário ‘Redemptoris Mater’ de Lisboa.
Desde a ordenação de diácono, em dezembro, Gonzalo ficou a viver e fazer o trabalho pastoral na Paróquia da Penha de França, onde “o desafio é grande”. “É uma zona envelhecida, e é, agora, habitada por muitos jovens e turismo... não é uma população fixa. Não podemos ficar na igreja à espera que venham à Missa. Temos que sair à procura destes jovens. Esse desafio motivou-me muito. Temos que sair dos esquemas habituais”, apela, assegurando à diocese que poderá contar com ele para “propor o Evangelho, de uma maneira radical e concreta”. “Porque essa foi a minha experiência”, partilha.


Gonzalo Palácios, 38 anos
Arquidiocese de Sevilha, Espanha



  • As ordenações presbiterais vão decorrer no próximo Domingo, às 16h00, no Mosteiro dos Jerónimos e terão um número limitado de participantes, devido à pandemia. Pode acompanhar a celebração, em direto, pelo site e redes sociais do Patriarcado de Lisboa.


ORGANOGRAMA DA CÚRIA
© 2020 - Patriarcado de Lisboa. Todos os direitos reservados.